domingo, 29 de abril de 2018

Shippando com a Maah III: Kacchako

Ah... Quem me conhece sabia que esse post iria acontecer eventualmente. Kacchako tem sido minha obsessão desde a segunda temporada de Boku no Hero Academia. É difícil eu shippar um casal com tanta... voracidade, ainda mais em obras que não tem nada de particularmente romântico, mas aqui estamos. E esse post vai ser longo. 

Essa imagem é oficial. Os trajes do Bakugou
e da Uraraka foram feitos pelo mesmo designer,
que tem como marca registrada dois pontos pretos
(que podem ser vistos em ambos os trajes)
O que é "Kacchako"? Kacchako é uma combinação dos nomes de Katsuki  "Kacchan" Bakugou e Uraraka Ochako. Ambos são personagens do anime/mangá shounen Boku no Hero Academia, escrito e desenhado pelo mangaká Kouhei Horikoshi. O mangá recebeu uma adaptação para anime em 2016 e atualmente está em sua terceira temporada, fazendo parte dos animes da primavera/2018

Como esse é não é um post sobre Boku no Hero Academia, não falarei muito sobre o anime, mas se você nunca ouviu falar dele ou nunca o assistiu, faça um favor para mim e para si mesma/o e assista-o! É muito legal, intenso, hype, tudo de bom. Certo? Ok. Agora vamos ao que importa:

Quando você começou a shippar Kacchako? A partir da luta dos dois no arco do Sport's Festival, na segunda temporada do anime.

quinta-feira, 26 de abril de 2018

{♥} Inari, Konkon, Koi, Iroha

Inari, Konkon, Koi, Iroha é sobre uma garota, Inari, que tem um enorme carinho pelo templo de mesmo nome próximo à sua casa. O que ela não sabe é que a deusa do templo, Uka-no-Mitama-no-Kami, nutre o mesmo carinho por ela. 

Um dia, depois de acidentalmente fazer o garoto que ela gosta passar vergonha na frente de toda a classe, Inari corre para o templo entre lágrimas. A deusa, assistindo à cena, se compadece dos sentimentos da garota, e resolve conceder a ela um desejo. 

Com inveja de uma menina, Inari pede para se torná-la, e acaba conseguindo o poder de tomar a forma de qualquer outro humano que deseje. O problema é que trocar de corpo traz muitos mal-entendidos, e os poderes de Uka vêm com um preço. Agora Inari terá que fazer seu melhor para lidar com tudo isso, mantendo seu envolvimento com os deuses em segredo ao mesmo tempo em que tenta se aproximar do garoto que gosta, lida com seu irmão e faz novas amizades.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

{Book} O Enterro das Minhas Ex

Ya-hello! O meu blog com duas amigas, a Sabs e a Giu, se foi para sempre devido à nossa constante inatividade. Passando pelas postagens antigas, percebi que haviam resenhas que eu não trazido pra cá. Então, lógico, resolvi trazê-las.

O primeiro post desse resgate de resenhas é um de 20/11/16, sobre o comic book O Enterro das Minhas Ex, de Gauthier, que devorei logo após comprá-lo numa feira. Ele aborda a vida de Charlotte, uma garota confusa com relação a seus sentimentos por outras garotas.

charlott
Charlotte após ter seu beijo retribuído

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

{♥} Toki wo Kakeru Shoujo

Faz anos que assisti Toki wo Kakeru Shoujo, ou, em português, "A garota que saltava no tempo". Ele foi um filme que me marcou, e muito. Fuçando os arquivos do blog, descobri que tinha começado essa resenha (Em 08/03/14, nossa senhora) e a deixado em forma de rascunho. Resolvi mudar isso e finalmente falar um pouco desse filme incrível que eu amo tanto. 

Em Toki wo Kakeru Shoujo conhecemos a história de Konno Makoto, uma menina animada que passa seus dias jogando beisebol com seus dois melhores amigos, Chiaki e Kousuke. Ela é o tipo de aluna que sempre chega atrasada e não sabe bem o que quer fazer da vida.

Makoto e seus dois melhores amigos
Num dia ruim, em que tudo está dando errado, os freios de sua bicicleta param de funcionar, e, sem conseguir frear ao descer uma ladeira, ela acaba sendo atingida por um trem.

Quando a morte parece iminente e tudo parece estar perdido, porém, o tempo volta, e Makoto se dá por si caída com sua bicicleta na ladeira, um pouco antes da linha do trem.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Animes {Inverno/2018}

Hah. Tudo bem que já estamos em fevereiro, mas por que não, não é mesmo? Faz um bom tempo desde que eu comento o que estou achando dos animes da temporada. Enfim, vamos às minhas primeiras impressões. 

Vamos dar uma olhada...

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

{Movie} The Handmaiden

Já fazia um tempo que eu queria muito assistir The Handmaiden (Ah-ga-ssi, no original). Tudo porque, de acordo com a internet, era um filme que envolvia amor entre mulheres sem o cliché de sempre - o que, logicamente, me interessou bastante. O trailer também não deixou por menos, mostrando diversas cenas intensas e misteriosas cortadas pela metade. Hypada como nunca, parti para assistir ao filme. 

The Handmaiden (A Criada) é um filme coreano sobre uma jovem contratada para trabalhar como criada de uma rica herdeira que vive em isolamento numa mansão com seu tio e diversas empregadas. Inicialmente parecendo um conto apenas dramático, você logo descobre que a criada, Sookee, é na verdade uma ladra infiltrada que planeja dispensar sua ama, Hideko, e roubar sua fortuna.

No começo eu fiquei um pouco confusa sobre onde se passava o filme e qual era a origem dele. Isso porque The Handmaiden se passa nos anos 30, durante a ocupação japonesa na Coréia do Sul. Por conta disso, o idioma do filme é diversas vezes alternado entre o japonês e o coreano - o que achei extremamente interessante e lindo. A mudança entre as línguas sutilmente influencia diversas partes do filme, mostrando hábitos, aprendizado, níveis de respeito e afins. Vale muito a pena prestar atenção nesse detalhe ao assisti-lo. 

sábado, 6 de janeiro de 2018

Sinal de Fumaça e 2017

Ya-hello! Maah aqui pro famoso post anual do blog (Brincadeira). Estou numa daquelas fases que você lembra que o blog existe (Hoje saiu o primeiro episódio de Citrus, e eu acabei lembrando que eu tinha feito um post sobre o mangá em 2014), vem checar as coisas e fica meio emocionada com a existência dele. Também descobri que tinham dois comentários que eu não tinha respondido! Foi mal. Eu sou tão não-popular que às vezes simplesmente assumo que ninguém vem por aqui. 

P-pessoas? *Pega lencinhos para limpar as lágrimas que virão*

Brincadeiras à parte, também descobri que a maioria dos meus recentes leitores são dos Estados Unidos? Hi, guys? Are you really there? O que é meio engraçado e triste porque meus posts são em português. Mas acho que é minha culpa por dar ao blog um nome em inglês. Simplesmente genial. Bom, eu falo inglês, então poderia só fazer umas postagens em inglês pra ver se alguém comentava, mas... GUYS, ARE YOU REALLY THERE? Eu honestamente acho que as pessoas só vem parar aqui por acidente... Então... 

Bom, vamos ao que importa. Feliz ano novo! Nessa época de férias eu sempre aproveito pra assistir algumas coisinhas que estavam atrasadas. Dos animes que já tinham terminado e tirei o atraso, os mais divertidos de assistir foram Fukumenkei Noise, um anime de triângulo amoroso com música, e Made in Abyss, um anime sobre duas crianças (uma humana e um robô) que exploram um abismo. 

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

{★} Omoi, Omoware, Furi, Furare

Faz tanto tempo que eu não posto no blog que, sinceramente, eu até esqueci como se faz. Bem, já que não sou - nem nunca fui - uma pessoa de muitos seguidores, suponho que ninguém tenha sentido minha falta (E, sinceramente, a parte boa de não ser popular e não ter seguidores é que você pode sumir de vez em quando). 

Ando postando umas coisinhas aqui e ali muito raramente pelo Depositário, blog que eu e outras duas amigas criamos há algum tempo. Provavelmente vou passar os posts de lá pra cá também, se eu resolver voltar a usar o blog mesmo. Mas hoje!!!! Eu resolvi vir aqui (e essa postagem se repetirá lá, cortando algumas coisinhas) falar pra vocês de Omoi, Omoware, Furi, Furare

Imagino que todos os fãs de anime/mangá shoujo já tenham ouvido falar de Ao Haru Ride, ou como é mais comumente conhecido, Aoharaido. Não? Bem. É um mangá - muito bom, por sinal -, que recebeu uma adaptação para anime, live action e inclusive está sendo publicado aqui no Brasil. O sucesso dele foi tremendo. Tipo, de verdade. Ele vendeu mais de 3 MILHÕES de cópias no Japão em 2015. Isso é bastante, gente. Né? Enfim! 

Mas coisas boas terminam, e Aoharaido acabou. Foi aí que Io Sakisaka, nossa Majestade, nos trouxe Omoi, Omoware, Furi, Furare, seu novo mangá. Apesar da nova obra não estar apresentando o sucesso do trabalho predecessor da autora, ele também é maravilhoso. E vocês deveriam lê-lo. E eu vou dizer por quê. 

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

{★} Orange

Então. Hoje saiu uma notícia que fez a internet (Pelo menos a parte otakinha dela) vibrar: A confirmação de uma adaptação para anime do mangá Orange, de Takano Ichigo.

Orange é um mangá de drama/romance que nos apresenta Naho, uma garota comum que, aos dezesseis anos, recebe uma carta escrita por ela mesma, dez anos no futuro. Essa carta solicita que Naho conserte erros que ela cometeu no tempo atual, e dá instruções de como consertá-los.

Inicialmente, Naho pensa que a carta é uma brincadeira de alguém, mas com a chegada de um novo aluno em sua classe, o qual a carta pede incessantemente para Naho observar com cuidado, ela passa a acreditar na mensagem que sua eu do futuro mandou, e tenta a todo custo seguir as instruções escritas nela.